(41) 3092-4200 Rua da Paz, 195, sala 123, 1º andar, Alto XV

A retina é a camada mais interna da parede ocular, ou seja, ela reveste a parte interna da cavidade ocular, como uma câmara em uma bola de futebol.

As luzes ou imagens que vemos atravessam o olho todo e acabam se projetando na retina. A retina recebe as imagens e as transforma em estímulos elétricos que são enviados ao cérebro através do nervo óptico. As células da retina que transformam luz em estímulo elétrico são chamadas de fotorreceptores.

Quando a retina se descola da parede do olho, estes fotorreceptores entram em sofrimento e acabam perdendo sua vitalidade de maneira irreversível após alguns dias ou poucas semanas.

O descolamento de retina ocorre quando o vítreo, que é a gelatina que preenche a parte de trás do olho, entra em baixo da retina, ou seja, infiltra-se e entre a retina e a parede do olho.

Os descolamentos podem ocorrer espontaneamente ou como consequência de impactos ou lesões no olho. Eles acontecem nos pacientes míopes numa frequência muito maior do que nos não míopes.

Os sintomas do descolamento de retina mais frequentemente relatados são a visão de flashes de luz ou raios luminosos no campo de visão, a presença de manchas escuras móveis no campo de visão, chamadas de moscas volantes e o aparecimento de uma grande área de visão embaçada em uma parte do campo de visual.

Em casos de descolamentos causados por um rasgo na retina, chamado também de rotura de retina, a correção do descolamento é feita através de uma cirurgia que oclui e fecha esta rotura, impedindo o vítreo de continuar passando através dela. Na cirurgia, é feita não somente a oclusão da rotura, mas também a drenagem do fluido que se encontra sob a retina.

Com a retina novamente colada, os fotorreceptores param de sofrer e podem voltar a funcionar novamente caso ainda tenham vitalidade residual suficiente.

Na cirurgia de descolamento, utilizamos laser ou crioterapia para cauterizar as roturas e preenchemos o olho com gás ou com óleo de silicone, para preservar a retina colada até que a cauterização consiga cicatrizar e fechar definitivamente a rotura da retina.

Rua da Paz, 195, sala 123, 1º andar, Alto XV